O jazido de ametista encontrado na Bahia e o que isso tem haver com poker

Depois do grind de 14/06 (Quarta-feira), que eu geralmente termino mais cedo pra poder acompanhar algum jogo de futebol, fui pra sala assistir ao jogo Santos 1x0 Palmeiras e fiquei la sentado depois do final da partida assistindo o profissão repórter. Eis que me deparo com a notícia de um jazido de ametista, pedra roxa que segundo a wikipédia é responsável por uma lenda de que quem usá-la estará protegido de embriaguez.

Imagem de ametista
O foco da reportagem, além de mostrar o dia-a-dia do profissional de jornalismo, é nas pessoas, suas histórias e esperanças. E a cada entrevista, a cada resposta dada eu não parava de comparar com o mundo mágico do poker. Na matéria tem todo tipo de situação, mas de modo geral aparece aquela pessoa que está em busca do big hit.

Cada grupo demarcava a terra e começava a escavar. É notória a falta de conhecimento daquelas pessoas em áreas que provavelmente dariam à elas uma chance maior de achar a pedra. Em vez disso eles usam um galho bifurcado que é, segundo eles, movido pela energia da pedra. E assim eles escolhem onde vão cavar e a qual profundidade. No fim das contas, a maioria não vai achar nada que faça com que eles mudem de vida. Por quê esse é o objetivo. Desenterrar uma pedra que faça deles milionários da noite para o dia. Perto do final do programa, quando estavam acompanhando um tal "Seu Chico", ele fala que já é a terceira vez em sua vida que tenta a sorte num garimpo e fala o que considero a palavra-chave: "Garimpo vicia"

Percebeu que eu usei as palavras "Chance" e "Conhecimento"? Também falei em "mudar de vida da noite para o dia". Pois é, qualquer semelhança com o que vemos no poker não é mera coincidência.

Não me entenda mal, não tenho nenhuma intenção de ser pejorativo em relação ao poker, muito menos ao garimpo. E também tenho plena consciência que existem muitas diferenças entre as duas atividades, mas o que me chamou a atenção foram as semelhanças. Principalmente as ruins!

Da mesma forma que os garimpeiros usam o graveto pra "localizar" a pedra, muitos jogadores de poker recorrem a tudo menos estudo pra ganhar. Justificam suas perdas das formas mais criativas do mundo. Desde conta "bixada" até boot do PS. E quando cravam alguma coisa serve só pra livrar parte do ferro. É, esse poker é viciante, a adrenalina de poder ganhar milhões de uma vez decorrente de uma maré de sorte deve ser foda. Mas é exatamente essa adrenalina focada no gambling que deve ser evitada.

O trabalho do jogador de poker deve ser como trabalho de formiguinha. Dia-a-dia. Clicando botão e tentando tomar as melhores decisões. Nada de graveto atraído por energia, nada de pepita de ametista, nada de colocar a culpa no PS. Trabalho de formiguinha...

Matéria do G1 sobre a jazida de ametista encontrada na Bahia

Me segue nas redes sociais:
Facebook
Instagram

Comentários

Postagens mais visitadas